Skip to content

Alimentos orgânicos, produtos sem fertilizantes e inseticidas

Terça-feira 21 de março de 2017, 12:57 pm, última atualização

  • SyM – Karina Galarza Vásquez

Alimentos orgânicos

Há os que pensam que o crescimento de alimentos orgânicos é moda, e outros dizem que se deve ao desejo de proteger o ambiente e melhorar a qualidade da comida. O certo é que a cultura orgânica dos alimentos é uma realidade no México, e continua a ganhar adeptos.

Utilizar insumos naturais e evitar o uso de pesticidas e fertilizantes químicos são as bases da agricultura orgânica, que se tornou indispensável em países europeus. Se bem que no México, o consumo desses alimentos ainda não se estendeu muito, sim, foi observado aumento de 45% na sua produção, dos quais 85% são comercializados no exterior.

Segundo a Secretaria de Agricultura, Pecuária, Desenvolvimento Rural, Pesca e Alimentação (Sagarpa), do solo mexicano obtêm-se mais de 200 milhões de dólares em comestíveis orgânicos por ano, e mesmo quando o custo desses produtos pode triplicar o daqueles “regulares” que são utilizados nas mesas nacionais, a qualidade e o sabor dos primeiros é superior, segundo o que afirma a nutrióloga Maria Fernanda Diaz Laredo, adstrita à Direcção de Educação Contínua da Universidade Iberoamericana (UIA), na Cidade do México, que diz que os alimentos orgânicos têm sido bem recebidos no México, devido ao seu alto custo, não estão ao alcance de toda a população.

Vantagens

Considera-Se que o principal benefício dos alimentos orgânicos vai orientada para a saúde e, em segundo lugar, ao cuidado do ambiente, já que não se usam produtos químicos (fertilizantes, inseticidas) em alguma fase de sua produção. Assim, de acordo com a especialista da UIA, a bondade dos orgânicos não se vê no bolso dos consumidores, mas, sim, em sua saúde.

Além disso, na opinião de Díaz Laredo, no caso de algumas frutas, o sabor é completamente diferente, sem contar que é possível comê-las com casca, com muito maior segurança do que como acontece com as comuns, as mesmas que em sua maioria foram regadas com águas tratadas ou tratadas com produtos químicos.

Por outra parte, quanto ao frango, por exemplo, ressalta que o orgânico é-lhe alimentado com grãos de alta qualidade e sem hormônios para aumentar o seu peso. O anterior permite que a cor da pele e o sabor da carne sejam muito diferentes dos comuns, embora o tamanho da ave seja menor.

Os especialistas afirmam que o fato de que estes comestíveis à base de carne ou produtos lácteos não contêm hormônios representa grande vantagem, já que diversos estudos têm relacionado o consumo de carne de consumo ordinário, com o aumento de câncer de mama e cólon.

Como se produzem?

A nível nacional, sabe-se que Chiapas e Oaxaca (sul do país) são os principais estados produtores e exportadores, pois encontram-se à cabeça da lista com 43 e 27% da produção nacional total, respectivamente. O principal cultivo deste tipo é o café, mas também se recorre a outros, como ervas medicinais, especiarias, leite, estados unidos, milho azul e branco, manga, maçã e laranja.

Agora bem, como posso obter esses produtos? De acordo com informações de The Greencorner, considerado o primeiro conceito de mercado, lanchonete e loja de orgânicos no México, efectua-se o seguinte:

  • Alface. É produzido com matéria orgânica tratada, sem químicos e fertilizantes, e ser-lhe-rega com água não contaminada.
  • Camomila. A flor cresce saudável em camas férteis de cultivo; em geral, esta —assim como outros tipos de ervas para infusão—, afasta, por si mesma a insetos e outros predadores, pelo que não é necessário o uso de pesticidas.
  • Tomate. Em algumas ocasiões, a semente é importante, e a fertilização é conseguido através do uso de farinhas de cabeça de camarão com casca de jaiba. Para o controle de pragas é combinam insumos biológicos, extratos, armadilhas e controle manual; por exemplo, para manter afastados os insetos se utiliza extrato do chile, enquanto os cogumelos lhes afasta com cebola e alho. Seu tamanho é menor, a cor é vermelho e você realmente sabe a tomate, não a água.
  • Queijo. Em primeiro lugar, as vacas são alimentadas de forma natural com a finalidade de mantê-las em bom estado de saúde e evitar que eles administram antibióticos ou hormônios de crescimento. Assim, enquanto o queijo comum é alto em gorduras saturadas, o orgânico (proveniente do leite dessas reses) contém maior quantidade de cálcio, ômega 3 ajuda a reduzir colesterol e triglicerídeos do sangue) e vitaminas A, D e E.
  • Presunto. São confeccionadas com 100% de carne proveniente de animais alimentados de forma orgânica, tanto o tradicional é 30% de carne e o restante é constituído por farinhas, a gordura e aditivos.
  • Leite. Como apontamos, as vacas são criados com métodos naturais e orgânicos, o que possibilita que o produto contém mais proteínas.
  • Carne. Seu segredo reside em bom tratamento para com as reses, o que deriva em que tenha menos gordura e está livre de resíduos tóxicos provenientes de anabolizantes (aumentam o volume dos músculos), antibióticos ou hormônios. Além disso, o bem-estar e uma vida livre de estresse, dá lugar a produtos à base de carne de alta qualidade, os quais só são processados de animais jovens.
  • Maçã. Seu cultivo requer solo rico e fértil; os nutrientes sob a terra são importantes, bem como as compostas naturais (adubo feito com restos de alimentos). As barreiras, policultivos (culturas em que são colocados vegetais de diferentes tipos que colaboram entre si contra as pragas) e repelentes naturais substituem os agrotóxicos, e o tempo certo da colheita, assim como a qualidade e cuidado em sua seleção, embalagem e transporte, são fundamentais.
  • Amoras. Framboesa, amora e amora são como as orquídeas do mundo orgânico, pois são cultivadas em estufa. O resultado?: tamanho, cor, maturidade, forma, sabor e aparência espetacular.
  • O Café. Ocorre sob a sombra, isto é, intercalado com árvores de laranja, banana, limão e abacate. Rege-Se por normas internacionais de produção e industrialização, respeitando o ambiente tropical.

À mesa

Ao comprar alimentos orgânicos, você recebe a certeza da qualidade do produto por meio de certificado emitido por determinada agência especializada. No México operam 15 empresas deste tipo que só podem dar o seu selo, uma vez que os gêneros alimentícios tenha passado rigorosos padrões de qualidade. Entre os mais conhecidos encontramos a Certimex, Ocia e Cucepro (todas elas de México), IMO Control (Suíça), QAI (EU), Bioagricert (Itália) e as alemãs Naturland, Demeter, Ceres e BCS.

Devido às técnicas aplicadas durante a sua elaboração e a rigidez de sua certificação, os produtores de orgânicos incorrem em custos maiores do que os convencionais; por isso, esses alimentos possuem, geralmente, um preço mais elevado.

É indispensável ter em conta que existem no mercado, produtos caseiros, artesanais ou naturais, mas isso não quer dizer que sejam alimentos orgânicos. A respeito, apenas aquele que possui a etiqueta ou selo de “Comércio Justo”, “Orgânico” (se é do México), “Bio” (de Portugal), “Agriculture Biologique” (proveniente de França) ou “Organic” (quando é norte-americano) é orgânico. Assim que, se bem este saudável boom que agora vivemos, muitas empresas têm elaborado o seu próprio logotipo para informar que seu produto é natural, não deve se deixar enganar.

Alimentos orgânicos, produtos sem fertilizantes e inseticidas
Vote agora