Skip to content

Categoria: Dietas

Alimentos que ativam o seu cérebro

Quarta-feira, 12 de abril de 2017, 03:46 pm, última atualização.Alimentos para os neurônios

Você se alimentar com os nutrientes adequados para o desempenho no trabalho ou na escola? Sabe qual é a comida que estimula o cérebro a melhorar a sua função cognitiva e memória, além de prevenir doenças neurodegenerativas, bom apetite!

Alimentos nutritivos para o cérebro

Você pode escolher seus alimentos pensando em reduzir o risco de diabetes, hipertensão e doenças do coração. Mas, você já pensou em optar por comida para o cérebro cada vez que serve seu prato?

Se você se sente olvidadiz@, tenha em conta que comer bem é bom para a sua saúde mental e que a dieta (tudo o que você come) desempenha um papel importante na saúde do cérebro. Conheça quais alimentos são especialmente importantes em uma dieta para uma mente sadia.

Comida que estimula o cérebro

Todos nós temos dias em que parece impossível encontrar como se concentrar por mais tempo. E embora não haja nenhuma solução instantânea para aumentar nossas faculdades cognitivas, há certos alimentos para melhorar a concentração, função cerebral, proteger contra o declínio cognitivo e promover a clareza mental.

Compartilhamos alguns alimentos que ativam o cérebro:

  • Peixes. Salmão, sardinha ou atum são alguns exemplos que contêm Ômega 3, ácidos graxos que contribuem para que o desempenho intelectual de uma pessoa seja maior. Este ácido contém um componente chamado DHA, que é parte da estrutura do cérebro, por isso é importante para funções como neurogénesis (geração de novos neurônios e células gliais), sinaptogénesis (formação de sinapses entre os neurônios, que permite a transmissão de impulsos nervosos) e desenvolvimento do sistema nervoso (durante toda a gravidez e os primeiros anos de vida). Além disso, o metabolizarse adquire propriedades neuro protetoras durante o envelhecimento cerebral, em câmbio, a sua ausência está associada diretamente com aumento do risco de declínio cognitivo (perda da capacidade de memória e aprendizagem) e de demência, como a doença de Alzheimer.
  • Frutos vermelhos. Alguns destes, como os mirtilos e morangos, são grandes aliados para aumentar a atenção e fixar a memória. Sua ingestão constante ajuda a retardar a perda de memória e ajudam a concentrar-se melhor durante várias horas, por isso, se você está procurando o que comer para estudar melhor, súrtete destes produtos.

Frutos secos para estimular o cérebro

  • Frutos secos. São alimentos completos, alguns como as amêndoas e nozes contêm precursores de Omega 3, vitamina E e magnésio, que ajudam a manter o nível de concentração durante um tempo considerável, sem que, em seguida, produzir um “aumento rápido”, como costuma acontecer depois de ingerir grandes quantidades de alimentos com açúcar. Além disso, fornecem uma grande quantidade de proteínas, que estimulam as chamadas neurônios orexinas, encarregadas de manter-nos despertos e atentos.
  • Frutas. Contêm altos níveis de antioxidantes, compostos que combatem os danos causados às células pelo moléculas chamadas radicais livres. Ter uma dieta rica em frutas pode reduzir o risco de perda de memória usando a proteção das células do cérebro. Ingerir frutas com elevado teor de antioxidantes, como maçãs, que contém um antioxidante chamado quercetina, que ajuda a melhorar a memória (tenta comê-la com casca). Além disso, seu suco pode aumentar a produção de acetilcolina, que ajuda os neurotransmissores a ter uma melhor memória, prevenir doenças neurodegenerativas e retardar o envelhecimento das células do cérebro.
  • Chocolate ou cacau. Consumido com moderação, pode ajudar na boa saúde do cérebro, pois contém antioxidantes que evitam o envelhecimento precoce. Também é rico em magnésio, um mineral que ajuda na nutrição de nosso sistema nervoso. Contém flavonóides, pigmentos naturais dos vegetais com capacidade antioxidante que limpa o cérebro de oxidação a que o submetemos. Sua variedade preta ou amarga é a parte dos alimentos para melhorar a memória, em especial revitaliza cérebros de adultos, o que pode ser uma opção se você está procurando como render mais no trabalho. Além disso, a feniletilamina, que contém desencadeia um estado de bem-estar que pode ajudar a diminuir o risco de depressão.
  • Chá verde. Seus benefícios vêm da alta quantidade de antioxidantes que contém. Por isso ajuda a preservar a memória e prevenir as doenças que afectam o cérebro e coração ao proteger as células do dano causado pela passagem do tempo. É rico em compostos fenólicos como catequinas e taninos, substâncias que nos ajudam a manter nosso cérebro jovem, porque evitam o envelhecimento precoce. Além disso, são alimentos para os neurónios, pois promovem a sua criação ao conter o polifenol EGCG (epigallocatechin-3 gallate).
  • Citrinos. As frutas cítricas contêm nutrientes com capacidade para atuar como um antioxidante. Adicione essas três frutas a cada semana para obter proteção cerebral: laranja (que contêm vitamina C, o principal antioxidante solúvel em água em seu corpo), limão (possuem glicosídeos de flavonóides, que ajudam a impedir que as células cancerosas se dividam e se estendam) e toronjas (ricas em vitamina C e licopeno, que tem uma alta capacidade para combater a oxidação nas células do cérebro).
  • Legumes de folha verde. O brócolis e couves-de-Bruxelas são alimentos para pensar melhor, pois têm níveis elevados de vitamina K, os idosos que têm maior presença desse componente no organismo elaboram melhores discursos, progridem em sua expressão verbal e possuem maior retenção da informação.

Vários estudos corroboram a relação entre o que colocamos em nossa boca e o bem que podemos melhorar o rendimento escolar ou de trabalho. Não esqueça que as vitaminas, proteínas e ácidos graxos melhoram a agilidade mental. Considera-se implementar a sua dieta mais comida para o cérebro e lembre-se: o que tem uma boa nutrição, aumenta as suas capacidades criativas.

Comments closed

Alimentos que aceleram o metabolismo para perder peso

Quinta-feira, 22 de junho de 2017, 11:27 am, última atualizaçãoAlimentos que aceleram o metabolismo

Perder peso, ou, quando menos, não subir, é algo que preocupa muita gente, mas, por acaso, comer certos alimentos pode ajudar a alcançá-lo. Tudo parte da aceleração do metabolismo, processo complexo que não é difícil de entender.

De maneira simples podemos dizer que o metabolismo é a velocidade com que o organismo transforma os alimentos em energia, de forma que poderá fazê-lo rápida ou lentamente. Quando isso acontece seguindo a primeira opção os benefícios se traduzem em não aumentar de peso, pois tudo o que comemos se processa rapidamente e não dá pé, a que se mantenham nutrientes armazenados na forma de gordura, conseguindo assim que o peso e volume não são aumentados.

É lógico, então, que, se o procedimento é preguiçoso, corre-se o risco de ter excesso de peso e obesidade, de tal sorte que o melhor é estar bem no meio do equilíbrio e da saúde ideal. Mas, nunca é de mais dar uma manita ao organismo e ajudá-lo a que o metabolismo adquira certa velocidade que nos ajuda a não engordar.

Metabolismo vem do grego metabolé, que significa “mudança”, “transformação”, que é o que experimentam substâncias orgânicas, como carboidratos, proteínas e gorduras que se modificam em energia para ajudar o organismo a cumprir as suas funções vitais.

Apesar de que o metabolismo é realizada nas células, é o fígado o protagonista neste processo, já que por ele passam praticamente os alimentos, previamente deglutidos e envolvidos por ácidos no estômago, para daí fazê-los chegar diretamente às células.

Agora, carboidratos e proteínas referidos chegam ao organismo através de alimentos, os quais devem saber combinar para acelerar o metabolismo e perder peso, de forma lenta mas segura.

Para poder realizar um melhor processo metabólico, as proteínas necessitam de um ambiente ácido, enquanto que os hidratos de carbono o oposto, ou seja, alcalino. Portanto, ao ingerir ambos nutrientes em uma mesma refeição, o organismo trabalha de forma rápida e eficiente.

Onde estão presentes as proteínas? Em carne vermelha, ovos, peixe, frutos do mar, queijo, leite, produtos de soja, nozes, carne de frango, coelho, peru, porco, pato e iogurte, entre outros. Portanto, os carboidratos estão incluídos na cevada, biscoitos, aveia, centeio, feijão, mel, arroz, lentilhas, pão e produtos de farinha de trigo integral. Em ambos os casos, o indicado é combinar os alimentos citados apenas com vegetais e seus sucos. É importante indicar que os únicos carboidratos que não devem ser combinados com proteínas na mesma refeição são batatas e milho.

As frutas fornecem melhores resultados se comem sozinhas, e o sistema digestivo pode assimilar os nutrientes com mais eficiência, se o estômago estiver vazio quando comem.

Mas você pode fazer as combinações que quiser para acelerar a perda de peso, lembre-se essas dicas:

  • Beba oito copos de água por dia, ou o equivalente a 2 litros; é válido o suco de frutas diluído ou chá.
  • Não se esqueça de fazer atividade física, ou seja, caminhando a passo ágil todos os dias ao menos uma hora. Também funciona tentar fazer pelo menos uma hora de aeróbica por semana.
  • Procure não beber álcool.
  • Cuidado com o sal de mesa ou refeições muito saborosas, pois esta ajuda a reter líquidos, quando o mais importante é removê-los.
  • Evite comer mais de 80 g de carne vermelha por dia, em troca, procura entre 400 e 800 g (ou cinco porções de vegetais diariamente.
  • Evita os alimentos que tenham sido guardadas por muito tempo podem conter micotoxinas, combinação de fungos e toxinas que são altamente nocivas e alteram o funcionamento normal do organismo.
  • Não exponha a comida diretamente ao fogo, por exemplo, a carne sobre as brasas, já que é o dióxido de carbono que é emitido durante a combustão, o que é fator para desenvolver câncer.
  • Fazer várias refeições ao longo do dia ajuda a fazer com que o metabolismo se mantenha ativo. Assim, os especialistas recomendam fazer cinco refeições leves e não três substancial.
  • A refeição mais importante do dia é o café da manhã, já que por este organismo recebe os nutrientes necessários para queimar calorias ao longo de 24 horas.

Ajudar o metabolismo a executar suas tarefas com maior rapidez traz grandes benefícios, mas não se esqueça de contar sempre com a orientação de um nutricionista, que é o especialista indicado para fazer os ajustes necessários em sua dieta.

Comments closed

Alimentos para o coração: a saúde cardiovascular, desde o super

Terça-feira 04 de abril de 2017, 05:23 pm, última atualizaçãoAlimentos para o Coração, Saúde Cardiovascular, Compras Inteligentes

Para celebrar o Dia Mundial do Coração (29 de setembro), aprenda a fazer compras que beneficiam a sua saúde cardiovascular. Pegue lápis e papel, e anote o que você deve incluir ou retirar seu carrinho do super.

Embora as doenças do coração são a principal causa de morte no México, a boa notícia é que podem ser evitadas se você modificar certos hábitos alimentares intimamente ligados a dois fatores de risco cardiovascular: obesidade e consumo excessivo de sal.

Sempre que fizer suas compras, lembre-se dessas dicas:

1. Escolha frutas e legumes de cor intensa para preparar saladas ou sucos, por exemplo, tomate, melancia ou toronjas, pois contém grandes quantidades de licopeno, pigmento com forte poder antioxidante que protege seu coração.

2. Sempre leva alhos e cebolas, já que, além de contribuir com o delicioso sabor aos seus pratos, contêm substâncias com propriedades anticoagulantes, ou seja, favorecem a circulação sanguínea e o transporte de oxigênio através da hemoglobina a todo o organismo.

3. Compra de peixe. Dá-se preferência aos azuis (salmão, sardinha, arenque, atum, truta e mexilhões.), já que têm elevado teor de Ômega 3, gordura “caridade” que evitam a formação de coágulos sanguíneos (trombos) e ajudam a regular a pressão arterial.

4. Leva nozes e frutos secos. Também contêm Ômega 3. Consúmelos entre refeições e adicione aos seus saladas favoritas.

5. Restringe a compra de carne vermelha, já que suas abundantes gorduras saturadas aumentam os níveis de colesterol “prejudicial” (LDL), o que pode causar acúmulo de depósitos de gordura nas artérias, e reduzir a capacidade do coração para bombear sangue e oxigênio para o organismo.

6. Diga adeus sal ou reduz o seu consumo para manter a sua pressão arterial sob controle. Lembre-se que 75% do sal que consumimos provém de alimentos processados e os 25% restantes o adicionamos quando preparamos os pratos ou estamos em cima da mesa. Se não pode renunciar a ela, procura substitutos ou sais reduzido em sódio (geralmente são feitas com compostos de potássio ou magnésio).

7. Muda o teu azeite tradicional por azeite de oliva. Este é um dos principais alimentos para o coração, já que contém vitamina E e polifenóis, que evitam a oxidação do colesterol ruim e o aparecimento de doenças cardiovasculares.

8. Esqueça-se do álcool. Ao evitá-lo por completo mantém controlado o índice de triglicérides, uma vez que são geradas através de alimentos não gordurosos, como o álcool e os carboidratos.

9. Inclui a soja. Além de ser importante fonte de proteínas, seus compostos naturais (isoflavones) actuam como hormonas humanas que regulam os níveis de colesterol. Atualmente, os produtos que contêm soja são muito acessíveis e numerosos (do leite, feijão e óleo, até bebidas com sabores frutados), pelo que poderá encontrar qualquer um a seu gosto.

10. Muda o chocolate branco por negro. Estudos afirmam que consumir uma onça (28.30 g) deste tipo de doce por dia previne em 37% o risco de doenças cardiovasculares.

Proteger a sua saúde cardiovascular é simples, se você comprar alimentos para o coração. Faça a sua lista!

Comments closed

Alimentos para combater o mau humor e depressão

Segunda-feira, 06 de agosto de 2018, 10:29 am, última atualizaçãoAlimentos contra a depressão, ansiedade e estresse

Nosso agitado e exigente nível de vida pode fazer com que nos sintamos angustiados, estressados, cansados ou até mesmo tristes. Você sabe que, por meio da alimentação é possível atenuar esses sintomas e evitar a depressão? Conheça algumas dietas anti-depressivas para melhorar o estado de ânimo.

Existem alimentos que influenciam a conduta, causando algumas reações alérgicas e modificam o nível de glicose no sangue, o que pode afetar consideravelmente o estado mental.

Um exemplo é o chocolate, que em pequenas quantidades é formidável promotor do otimismo e a felicidade, mas, se consumida em excesso pode gerar angústia, já que este produto é rico em substâncias como a cafeína, a teobromina e outras que irritam o hipotálamo (região do cérebro que controla a função das glândulas).

Do mesmo modo, pode-se apreciar que a deficiência de vitamina B6 (presente em alimentos ricos em açúcares refinados, aditivos e corantes) a nível do cérebro pode desencadear comportamentos agressivos e hiperatividade.

Sabe-Se, também, que alguns casos de neurose (conjunto de doenças que afetam o sistema nervoso) se relacionam estreitamente com a presença de toxinas de origem animal que se formam no cólon, provocando, em primeira instância, problemas de prisão de ventre que repercutem diretamente no intestino, o qual se vê obrigado a alterar sua capacidade de auto-proteção, de forma que as substâncias produzidas pelo cólon têm que se deslocar para outras partes do organismo, com graves repercussões no estado de ânimo da pessoa afetada.

A falta de certas vitaminas e minerais provoca vários distúrbios, por exemplo, a falta de potássio provoca cansaço e confusão, se não consumimos magnésio estaremos apáticos e fracos, enquanto que se a falta de vitamina B12, podemos sofrer uma degeneração do sistema nervoso.

Além disso, fadiga e depressão se apresentam quando não há quantidade suficiente de niacina (vitamina B3), que ajuda a eliminar os depósitos tóxicos do organismo.

O que comer se eu estou estressada?

Em caso de estresse, o melhor é combinar uma alimentação de carboidratos complexos:

  • Massas como macarrão ou espaguete.
  • Pão.
  • O Arroz.
  • Legumes.
  • Batatas.

Com vitaminas do complexo B:

  • Legumes de folha verde.
  • Frutas frescas.
  • Cereais integrais.

Vitamina C

E zinco:

  • Fígado.
  • A Carne vermelha.
  • Gema de ovo.
  • Produtos lácteos.
  • Frutos do mar.

Esta dieta anti-depressiva, sempre com medida, e te ajudará a prevenir infecções causadas pelo enfraquecimento do sistema imunológico, reduz a fadiga e oferecerá efeito sedativo do que mantê-lo calmo e relaxado.

Alimentação contra a tristeza

Se você está passando por um período de melancolia e nostalgia, é recomendável consumir:

  • Produtos lácteos (leite, queijo, iogurte).
  • Carne magra (sem gordura).
  • Ovos.
  • Aves.
  • Peixes e frutos do mar.
  • Vísceras.
  • Ervilhas.
  • Frutas como melão e laranja.
  • Legumes frescos, como aspargos, brócolis, couve e feijão.
  • Cereais como arroz e pão.
  • Massas.
  • Batatas.
  • Doces como chocolate e mel.

Todos estes alimentos contêm proteínas, vitamina B6 e carboidratos, que ajudam-nos, em primeiro lugar, a aumentar o ânimo, devido a um aminoácido chamado triptofano, que estimula a produção de serotonina (substância usada no tratamento da depressão); e a vitamina referida nos pode ajudar a combater a tristeza, tanto que os hidratos de carbono produzem sensação de bem-estar.

Alimentos contra a ansiedade

Se você sofre de ansiedade, o melhor é que vírgulas:

  • Fruta fresca, especialmente laranjas e limões.
  • Vitaminas do complexo B, que são encontradas na carne, ovos, queijo, nozes e verduras de folhas verdes, como espinafre e acelga.
  • Bebidas lácteas doces. Tomar um copo com leite e açúcar ajuda, já que contém triptofano e carboidratos simples, que acalmam a mente e dão sono realmente eficaz.

Tudo isso para reduzir o efeito que produz a falta de vitamina C e vitamina B6 (similar ao estado de stress).

O Recupera energia com esses nutrientes!

Se você sente falta de energia, será benéfico adicionar ao seu regime alimentar:

  • A Carne vermelha.
  • Fígado.
  • Sardinhas e frutos do mar.
  • Cacahuates.
  • Vegetais de folhas verdes como brócolis, couve de Bruxelas, espinafre.
  • Massas.
  • Pão integral.
  • Frango.
  • Peixe.
  • Produtos lácteos.
  • Ovos.

Alimentos com os que você obterá o zinco, o que irá aumentar a sua energia, o ferro, o que te ajudará a prevenir anemia, e hidratos de carbono para aumentar a sensação de bem-estar.

No entanto, tenha o cuidado de não consumir carboidratos refinados, presentes em biscoitos, doces e bolos, já que em vez de fornecer energia, causando fadiga.

Alterações no estado de ânimo

Se você é das pessoas com notáveis variações no estado de humor, ou seja, que por momentos se sente muito bem e, de repente, decaes, talvez precisar:

  • Alimentos que contenham carboidratos complexos, como leguminosas (feijão e lentilha), cereais integrais e frutas.
  • Vitaminas do complexo B (batatas, frutas frescas, cereais integrais, ovos, carne magra, fígado e aves).

E para o mau humor…

Se você está irritado e precisa se recompor, você pode comer:

  • Cereais, leite, biscoitos e mel no café da manhã.
  • Massas, arroz, pão, legumes e batatas ao longo do dia.

Todos estes alimentos contêm carboidratos, que aumentam os níveis de serotonina e têm efeito sedativo dos nervos.

Se você também consome arroz integral, gema de ovo, peixe, frutas secas, como banana, aves, vísceras, soja, cereais integrais, produtos lácteos e levedura de cerveja, seu corpo receberá vitaminas do complexo B, o que pode elevar o humor e diminuir a ansiedade.

Uma dieta balanceada nos ajudará a desintoxicar nossa mente e nos dá a energia suficiente para impedir que a depressão e o estresse ganhem nossa vida. Vacúnate hoje contra o mau humor, simplesmente… come-se bem.

Comments closed

Alimentos orgânicos, produtos sem fertilizantes e inseticidas

Terça-feira 21 de março de 2017, 12:57 pm, última atualização

  • SyM – Karina Galarza Vásquez

Alimentos orgânicos

Há os que pensam que o crescimento de alimentos orgânicos é moda, e outros dizem que se deve ao desejo de proteger o ambiente e melhorar a qualidade da comida. O certo é que a cultura orgânica dos alimentos é uma realidade no México, e continua a ganhar adeptos.

Utilizar insumos naturais e evitar o uso de pesticidas e fertilizantes químicos são as bases da agricultura orgânica, que se tornou indispensável em países europeus. Se bem que no México, o consumo desses alimentos ainda não se estendeu muito, sim, foi observado aumento de 45% na sua produção, dos quais 85% são comercializados no exterior.

Segundo a Secretaria de Agricultura, Pecuária, Desenvolvimento Rural, Pesca e Alimentação (Sagarpa), do solo mexicano obtêm-se mais de 200 milhões de dólares em comestíveis orgânicos por ano, e mesmo quando o custo desses produtos pode triplicar o daqueles “regulares” que são utilizados nas mesas nacionais, a qualidade e o sabor dos primeiros é superior, segundo o que afirma a nutrióloga Maria Fernanda Diaz Laredo, adstrita à Direcção de Educação Contínua da Universidade Iberoamericana (UIA), na Cidade do México, que diz que os alimentos orgânicos têm sido bem recebidos no México, devido ao seu alto custo, não estão ao alcance de toda a população.

Vantagens

Considera-Se que o principal benefício dos alimentos orgânicos vai orientada para a saúde e, em segundo lugar, ao cuidado do ambiente, já que não se usam produtos químicos (fertilizantes, inseticidas) em alguma fase de sua produção. Assim, de acordo com a especialista da UIA, a bondade dos orgânicos não se vê no bolso dos consumidores, mas, sim, em sua saúde.

Além disso, na opinião de Díaz Laredo, no caso de algumas frutas, o sabor é completamente diferente, sem contar que é possível comê-las com casca, com muito maior segurança do que como acontece com as comuns, as mesmas que em sua maioria foram regadas com águas tratadas ou tratadas com produtos químicos.

Por outra parte, quanto ao frango, por exemplo, ressalta que o orgânico é-lhe alimentado com grãos de alta qualidade e sem hormônios para aumentar o seu peso. O anterior permite que a cor da pele e o sabor da carne sejam muito diferentes dos comuns, embora o tamanho da ave seja menor.

Os especialistas afirmam que o fato de que estes comestíveis à base de carne ou produtos lácteos não contêm hormônios representa grande vantagem, já que diversos estudos têm relacionado o consumo de carne de consumo ordinário, com o aumento de câncer de mama e cólon.

Como se produzem?

A nível nacional, sabe-se que Chiapas e Oaxaca (sul do país) são os principais estados produtores e exportadores, pois encontram-se à cabeça da lista com 43 e 27% da produção nacional total, respectivamente. O principal cultivo deste tipo é o café, mas também se recorre a outros, como ervas medicinais, especiarias, leite, estados unidos, milho azul e branco, manga, maçã e laranja.

Agora bem, como posso obter esses produtos? De acordo com informações de The Greencorner, considerado o primeiro conceito de mercado, lanchonete e loja de orgânicos no México, efectua-se o seguinte:

  • Alface. É produzido com matéria orgânica tratada, sem químicos e fertilizantes, e ser-lhe-rega com água não contaminada.
  • Camomila. A flor cresce saudável em camas férteis de cultivo; em geral, esta —assim como outros tipos de ervas para infusão—, afasta, por si mesma a insetos e outros predadores, pelo que não é necessário o uso de pesticidas.
  • Tomate. Em algumas ocasiões, a semente é importante, e a fertilização é conseguido através do uso de farinhas de cabeça de camarão com casca de jaiba. Para o controle de pragas é combinam insumos biológicos, extratos, armadilhas e controle manual; por exemplo, para manter afastados os insetos se utiliza extrato do chile, enquanto os cogumelos lhes afasta com cebola e alho. Seu tamanho é menor, a cor é vermelho e você realmente sabe a tomate, não a água.
  • Queijo. Em primeiro lugar, as vacas são alimentadas de forma natural com a finalidade de mantê-las em bom estado de saúde e evitar que eles administram antibióticos ou hormônios de crescimento. Assim, enquanto o queijo comum é alto em gorduras saturadas, o orgânico (proveniente do leite dessas reses) contém maior quantidade de cálcio, ômega 3 ajuda a reduzir colesterol e triglicerídeos do sangue) e vitaminas A, D e E.
  • Presunto. São confeccionadas com 100% de carne proveniente de animais alimentados de forma orgânica, tanto o tradicional é 30% de carne e o restante é constituído por farinhas, a gordura e aditivos.
  • Leite. Como apontamos, as vacas são criados com métodos naturais e orgânicos, o que possibilita que o produto contém mais proteínas.
  • Carne. Seu segredo reside em bom tratamento para com as reses, o que deriva em que tenha menos gordura e está livre de resíduos tóxicos provenientes de anabolizantes (aumentam o volume dos músculos), antibióticos ou hormônios. Além disso, o bem-estar e uma vida livre de estresse, dá lugar a produtos à base de carne de alta qualidade, os quais só são processados de animais jovens.
  • Maçã. Seu cultivo requer solo rico e fértil; os nutrientes sob a terra são importantes, bem como as compostas naturais (adubo feito com restos de alimentos). As barreiras, policultivos (culturas em que são colocados vegetais de diferentes tipos que colaboram entre si contra as pragas) e repelentes naturais substituem os agrotóxicos, e o tempo certo da colheita, assim como a qualidade e cuidado em sua seleção, embalagem e transporte, são fundamentais.
  • Amoras. Framboesa, amora e amora são como as orquídeas do mundo orgânico, pois são cultivadas em estufa. O resultado?: tamanho, cor, maturidade, forma, sabor e aparência espetacular.
  • O Café. Ocorre sob a sombra, isto é, intercalado com árvores de laranja, banana, limão e abacate. Rege-Se por normas internacionais de produção e industrialização, respeitando o ambiente tropical.

À mesa

Ao comprar alimentos orgânicos, você recebe a certeza da qualidade do produto por meio de certificado emitido por determinada agência especializada. No México operam 15 empresas deste tipo que só podem dar o seu selo, uma vez que os gêneros alimentícios tenha passado rigorosos padrões de qualidade. Entre os mais conhecidos encontramos a Certimex, Ocia e Cucepro (todas elas de México), IMO Control (Suíça), QAI (EU), Bioagricert (Itália) e as alemãs Naturland, Demeter, Ceres e BCS.

Devido às técnicas aplicadas durante a sua elaboração e a rigidez de sua certificação, os produtores de orgânicos incorrem em custos maiores do que os convencionais; por isso, esses alimentos possuem, geralmente, um preço mais elevado.

É indispensável ter em conta que existem no mercado, produtos caseiros, artesanais ou naturais, mas isso não quer dizer que sejam alimentos orgânicos. A respeito, apenas aquele que possui a etiqueta ou selo de “Comércio Justo”, “Orgânico” (se é do México), “Bio” (de Portugal), “Agriculture Biologique” (proveniente de França) ou “Organic” (quando é norte-americano) é orgânico. Assim que, se bem este saudável boom que agora vivemos, muitas empresas têm elaborado o seu próprio logotipo para informar que seu produto é natural, não deve se deixar enganar.

Comments closed